Rondônia: Feiras livres voltam a acontecer em Vilhena após suspensão por causa do corona vírus.

As feiras publicas de Vilhena voltam com regras e protocolos que deverão ser seguidos à risca.

A SEMAGRI através de seu Secretario Jair Dornelas que as feiras publicas no município de Vilhena (RO) voltam a funcionar neste Sábado (04).

A medida se dá com inúmeros cuidados para que não se descumpra o decreto vigente pelo poder Estadual e Municipal.

As feiras livres somente estão autorizadas a funcionar em locais específicos (Barracões), e desde que obedecidas às normas baixadas pelos órgãos centrais dos sistemas que disciplinam atividades e funções sob competência.

  • Terça e Sábados – Barracão do BNH.
  • Quarta e Domingo – Barracão do Centro.
  • Sexta-feira – Barracão do Bairro São José.

OBS: Todos os sábados acontecera à feira do produtor rural no barracão do centro a partir das 15 horas.

Feirantes serão obrigados a usar mascaras toucas e álcool em gel caso não respeitem as novas regras serão punidos com a perca do direito de usufruir do espaço.

As barracas de madeiras ou outro material que não seja de fácil higienização estão proibidas, os feirantes que estão no grupo de risco também estarão proibidos de trabalharem no local.

Praças de alimentação também ficam de fora das feiras publicas, ou qualquer tipo de comida que possa ser consumida no local.

As mercadorias também terão que estar embaladas em plásticos film dando mais segurança e não as deixando expostas.

Diante das novas normas a autorização da reabertura das feiras livres foi unanime e terá vigência já neste sábado com a feira do Produtor Rural no barracão do centro.

De Terça a Domingo em algum bairro de Vilhena haviam feiras livres o que não ocorrerá na nova medida adotada pela SEMAGRI só permitirá que feirantes ocupem boxes ou barracas de fácil higienização. Entre outras medidas, torneiras e lavatórios com pedais serão instalados nas feiras para que não tenham contato manual seja de feirantes ou frequentadores da feira.

 

Texto: Odair Araújo

Fonte: SEMAGRI