Clubes deixarão de arrecadar fortunas sem publico nos jogos.

SAIBA OS VALORES E QUAIS TIMES SERÃO PREJUDICADOS FINANCEIRAMENTE.

Ainda não há previsão para o início do Brasileirão 2020, mas é possível que ele tenha as primeiras rodadas com portões fechados, caso ainda não haja segurança por conta da pandemia de coronavírus. Baseado nos valores de renda bruta do ano passado, veja na galeria a seguir, qual vai ser o valor perdido pelos clubes se nacional for realizado sem público

Atlético-MG – R$ 4.919.172,00 (média de R$ 258.903,79 por jogo)

Santos – R$ 7.425.067,50 (média de R$ 390.793,03 por jogo)

Goiás – R$ 7.951.155,00 (média de R$ 418.481,84 por jogo)

Botafogo – R$ 7.983.710,70 (média de R$ 420.195,30 por jogo)

Ceará – R$ 8.215.299,00 (média de R$ 432.384,16 por jogo)

Fortaleza – R$ 9.109.310,00 (média de R$ 479.437,37 por jogo)

Fluminense – R$ 9.791.060,00 (média de R$ 515.318,95 por jogo)

Bahia – R$ 9.798.807,50 (média de R$ 515.726,71 por jogo)

Grêmio – R$ 11.523.137,00 (média de R$ 606.480,89 por jogo)

Internacional – R$ 15.053.367,00 (média de R$ 792.282,47 por jogo)

Vasco – R$ 17.760.191,00 (média de R$ 934.746,89 por jogo)

São Paulo – R$ 23.345.881,70 (média de R$ 1.228.730,62 por jogo)

Palmeiras – R$ 29.510.234,20 (média de R$ 1.553.170,22 por jogo)

Corinthians – R$ 31.554.927,44 (média de R$ 1.660.785,65 por jogo)

Flamengo – R$ 53.475.752,70 (média de R$ 2.814.513,30 por jogo).

 

amazoniaemfoco com informações r7