Agentes comunitários de saúde de Vilhena intensificam cadastro no SUS em horário estendido

Durante os próximos três meses os agentes comunitários de saúde (ACS) da Prefeitura de Vilhena intensificarão o cadastramento de usuários no SUS (Sistema Único de Saúde), inclusive trabalhando em fins de semana e horários estendidos de segunda à sexta-feira. Isso porque o novo modelo de financiamento do SUS imposto pelo Governo Federal está vinculado ao total de usuários do sistema a partir deste ano.

“Pedimos à população que recebam bem os agentes e colaborem com a Prefeitura no cadastramento para que os recursos da Saúde sejam mantidos e, talvez, até ampliados. Atualmente temos 69.143 pessoas cadastradas e nossa expectativa é aumentar esse número em mais 30 mil, para cobrir toda a população do município, praticamente”, garante Ana Carla Andreola, coordenadora da Atenção Básica.

A Secretaria Municipal de Saúde já realizou reunião com todos os enfermeiros, agentes e profissionais de saúde envolvidos no processo para alinhar informações e estratégias que vão acelerar o cadastramento. Os cadastros vão ser realizados pelos ACS que vão procurar os moradores em suas residências durante horário o dia e, excepcionalmente também até o fim de abril, em mais horários, como fins de semana e fim da tarde.

Afonso Emerick, secretário municipal de Saúde, explica que “ter um bom número de cadastros no SUS vai garantir o recurso que já vem para a cidade e pode aumentar a verba destinada à Saúde conforme o número de pacientes em potencial registrados no sistema”.

COMO FUNCIONA – O novo modelo de financiamento do SUS está valendo já desde janeiro e envolve três critérios.

(1) Capitação ponderada: A população deve ser cadastrada nas equipes de Saúde da Família e Atenção Primária, com foco nas pessoas em situação de vulnerabilidade social. Também entram neste critério as faixas etárias com maior necessidade e gastos de saúde e classificação geográfica do município onde aquela população reside.

(2) Desempenho: contempla indicadores selecionados com base na relevância clínica e epidemiológica, dos resultados de saúde. Até 2022, o governo federal estabelecerá a cada ano novos indicadores para pagamento.

(3) Incentivos a ações específicas e estratégias: municípios que adotarem a outros programas do Governo Federal, como o Saúde na Hora, Saúde na Escola, Academia de Saúde, informatização, formação e residência médica e multiprofissional, dentre outros, ganharão mais recursos.

Os interessados que ainda não estão no SUS podem também procurar os postos de saúde para realizar seu cadastramento. A previsão do Governo Federal é que a medida aumente o volume de recursos de atenção básica repassado à maioria das cidades. O total de aumento previsto para o país é de R$ 2,6 bilhões.

Fonte: Assessoria Prefeitura