Com preço alto, nova gasolina chega ao pais.

A proposta do novo produto é oferecer maior qualidade e melhor desempenho, compensando o custo-benefício.

Os especialistas consideram que o produto será mais eficiente por aumentar em termos de octanagem e massa específica, o que garantirá maior resistência à combustão dando maior compressão e desempenho. A diretora de refino e gás da Petrobras, Anelise Lara, garante que apesar de ser mais cara, a nova gasolina será compensadora pela qualidade e por diminuir os danos aos motores.

Em conformidade com a Resolução 807/20, da ANP (Agência Nacional do Petróleo), a nova gasolina atenderá o padrão de massa específica mínima de 715 kg/m³ e octanagem mínima de 92 octanas pela metodologia RON (research octane number ou método de pesquisa). Quanto ao percentual de etanol anidro inserido foi mantido em 27% para as gasolinas comum e aditivada, e em 25% para a gasolina Premium.

Pela resolução da ANP, a antiga gasolina continuará sendo entregue nas distribuidoras até 3 de outubro. Nos postos, a velha gasolina será entregue até 3 de novembro. A Petrobras garante que está produzindo a nova gasolina para que em 2021 o produto esteja disponível em toda a rede.

Da redação.

Fonte: Diário do Amazonas