Treze anos depois e custo final superior a R$ 13 milhões: teatro de Ariquemes, RO, deve ser entregue em junho

Obras iniciaram em 2006, paralisaram em 2012 e retomaram em 2018. Na etapa inicial foram gastos mais de R$ 2 milhões e para conclusão foram licitados R$ 11,1 milhões.

Teatro está localizado na Avenida Tancredo Neves, região central de Ariquemes — Foto: Rede Amazônica/Reprodução.

Uma longa novela que se arrasta há 13 anos, com episódios dos mais variados, parece estar próxima dos capítulos finais em Ariquemes (RO), no Vale do Jamari. Isso porque a obra do Teatro Municipal, iniciada em 2006, deve ser entregue pela atual construtora responsável em junho deste ano.

Palco de apresentações terá cortina movida por controle remoto, diz empreiteiro da obra. — Foto: Jeferson Carlos/G1

Nesta quinta-feira (11), o engenheiro proprietário da Audax Engenharia, Valter Luiz Rossoni, disse ao G1 que o prédio está com 95% do projeto executado e que precisou parar a obra em dezembro de 2018, devido a um imprevisto na parte elétrica.

“Nós tivemos que paralisar a obra em dezembro, para que fosse feito o aditivo de um disjuntor exigido pela Eletrobras, que não estava previsto nas planilhas iniciais. Na próxima semana, vamos assinar o contrato do aditivo para pegar a ordem de reinício, mas vamos entregar a obra em junho”, afirmou o empreiteiro.

Assentos já estão no prédio e devem ser implantados nos próximos dias. — Foto: Jeferson Carlos/G1

Além do disjuntor, restam concluir apenas a parte de cenotecnia, que inclui o palco, as cortinas, iluminação, a implantação dos assentos e o acabamento da sala de apresentação.

De acordo com Valter Luiz Rossoni, o teatro de Ariquemes será 60% mais moderno que o Teatro Palácio das Artes, em Porto Velho.

“No teatro da capital, as cortinas funcionam de forma manual e aqui será por controle remoto. Aqui o sistema de som é todo importado, a acústica também é importada. Mesa de som, iluminação, sistema de refrigeração é tudo material de primeira linha, então será um teatro modelo em todo o estado”, ressaltou.

Porém, o empreiteiro ressaltou que manutenção do prédio terá um alto custo e aconselha que o Poder Público faça parcerias com a iniciativa privada para manter o local.

“Aconselhei o Governo e a Prefeitura para fazerem um gradeamento em volta, colocar portões eletrônicos e usar o local para a iniciativa privada também, seja com estacionamento ou com eventos particulares. A manutenção será muito cara e será preciso girar dinheiro para custear todas as despesas do prédio”, destacou.

O projeto do teatro prevê 3,5 mil metros quadrados de área construída e 55 vagas de estacionamento. Na área de apresentação, a plateia terá capacidade para 516 pessoas sentadas.

Fonte: G1

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA