Prefeito vai implantar o PCCS: reunião positiva cria comissão mista da PMV com o Sindsul e Câmara para apresentar acordo final nos próximos dias

Dispostos a abrir mão de alguns pedidos, servidores encerram greve e terão plano de cargos, carreiras e salários implantado no início de 2020

FIM DA GREVE: servidores aceitam proposta do prefeito Eduardo Japonês e PCCS será implantado em 2020FIM DA GREVE: servidores aceitam proposta do prefeito Eduardo Japonês e PCCS será implantado em 2020

O prefeito Eduardo Japonês foi claro com o sindicato dos servidores municipais na manhã desta segunda-feira: o Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) será implantado. Agora uma comissão mista formada por representantes da Prefeitura, Câmara e do Sindsul (Sindicato dos Servidores Municipais do Cone Sul de Rondônia) começará imediatamente as análises financeiras para definição dos termos finais do acordo. A previsão dos envolvidos é que o projeto esteja pronto dentro de um a dois meses e seja aprovado antes de fevereiro.

“Respeito o direito de greve de vocês e reforço o que sempre dissemos: o município passa por um momento financeiro que impossibilita à Prefeitura aprovar o plano em sua totalidade, como proposto pelo sindicato. A comissão de implantação do PCCS vai permitir que entremos em um acordo que seja bom para os servidores que mais precisam e também que esteja dentro da nossa realidade orçamentária. Sempre recebi vocês com educação e respeito. Depois de tantos anos de luta de vocês, agora vai”, explicou o prefeito Eduardo Japonês.

A reunião durou cerca de duas horas na manhã desta segunda-feira, no gabinete do prefeito, e envolveu o presidente do Sindsul, Wanderley Ricardo, e mais três representantes do sindicato, além de diversos secretários municipais, pastores e empresários locais. Em conversa franca, ambos os lados expuseram suas dificuldades e capacidades de negociação.

“O senhor sempre nos recebeu com muito carinho e temos que reconhecer que sempre fomos atendidos pelos pedidos de reunião. Agora vamos propor à Assembleia do Sindicato ‘entrar dentro dos números’ da Prefeitura e encontrar a melhor saída. Sinalizamos já, de antemão, que há a possibilidade de os servidores abrirem mão do pagamento de correções retroativas do reajuste, para que consigamos aprovar uma progressão mais justa valendo daqui para frente. Isso vai diminuir consideravelmente o valor de nossa proposta”, explicou Wanderley, dirigindo-se ao prefeito.

A comissão será composta por 10 membros, sendo três do sindicato, seis da Prefeitura e um da Câmara de Vereadores, que deve ainda realizar leitura, discussão e votação do acordo final até início de abril de 2020, prazo máximo previsto por lei para conceder aumentos a servidores, visto que se trata de ano com eleições.

Os servidores sindicalizados realizaram assembleia ainda nesta manhã, logo na sequência do encontro na Prefeitura, e deliberaram pelo fim da paralisação. Inclusive, o prefeito explicou que, com esta aceitação da proposta, os grevistas não terão seus salários ou benefícios cortados em relação ao tempo parados, apenas terão de repor os dias de trabalho perdido, conforme acordo entre Prefeitura e sindicato, atendendo a exigência da lei.

O encontro pode representar o principal e mais importante avanço na aprovação do Plano desde que seu primeiro esboço foi feito. Aberto ao diálogo e disposto a valorizar os servidores, o prefeito Eduardo Japonês garantiu estar empenhado em tomar grandes passos para o corte de gastos na Prefeitura a fim de liberar orçamento.

“Estamos finalizando os planejamentos de nossa reforma administrativa, que deverá reduzir também os gastos com folha de pagamento e comissionados. Além disso, onde nós conseguimos, estamos fazendo cortes e melhorando a arrecadação. Todas essas são decisões de gestão, sem pensar em política. Se eu quisesse fazer ‘politicagem’ não tomaria decisões duras como essas, que beneficiam a cidade a longo prazo”, completa o prefeito Eduardo.

 

Semcom