1ª parcela do auxílio nos dias 16 e 17 mais de 4,9 milhões receberão.

Após análise de um total de 8,9 milhões de cadastros feitos de 1º a 26 de maio, 4,9 milhões foram considerados elegíveis para receber o benefício.

O pagamento será creditado na conta poupança dos 4,9 milhões de beneficiados EDUARDO VALENTE/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

O Ministério da Cidadania liberou um novo lote para pagamento do auxílio emergencial de R$ 600. Serão beneficiadas 4,9 milhões de pessoas que fizeram requerimentos entre 1º e 26 de maio e que foram consideradas elegíveis, de um total de de 8,9 milhões de cadastros analisados.

A Caixa deverá realizar o pagamento da primeira parcela de R$ 600 por meio de crédito em poupança digital na próxima terça-feira (16) para os nascidos entre janeiro e junho, e na quarta-feira (17), para os nascidos entre julho e dezembro. O valor total é de R$ 3,1 bilhões.

Segunda parcela

Neste sábado, a Caixa vai abrir 680 agências no país, das 8h às 12h, para o saque da segunda parcela do auxílio emergencial de R$ 600. Serão beneficiadas 2,5 milhões de pessoas nascidas em dezembro, que se inscreveram pelo cadastro ou site do banco ou pelo CadÚnico.

O benefício, que já havia sido antecipado para uso digital por meio do aplicativo Caixa Tem, estará disponível para resgate em dinheiro, de acordo com a data de nascimento, para aqueles que receberam a primeira parcela até 30 de abril.

Com isso, a Caixa conclui o pagamento da segunda parcela para um grupo de 30 milhões de pessoas, além do grupo formado pelos beneficiários do Bolsa Família. Quem não sacou no período, não precisa se preocupar. O crédito continua disponível nas contas indicadas e o saque poderá ser feito, independente do dia de nascimento.

Quem tem direito

O auxílio foi criado para minimizar a crise provocada pelo coronavírus na população de baixa renda e de trabalhadores informais.

Para ter direito ao benefício é preciso estar desempregado, ou ser microempreendedor individual, contribuinte individual da Previdência Social e trabalhador informal.

Além de pertencer à família cuja renda mensal por pessoa não ultrapasse meio salário mínimo (R$ 522,50), ou cuja renda familiar total seja de até três salários mínimos (R$ 3.135,00).

Fonte: R7