Rede de água e esgoto em Vilhena vão sair do papel: licitação de R$ 77 milhões já está em andamento

 

Até março de 2020 obras já deverão ter começado com a construção de reservatórios e estação de tratamento

O prefeito Eduardo Japonês anunciou na manhã desta sexta-feira, o início da licitação de um dos projetos mais importantes da década para Vilhena: a instalação da rede de esgoto e a ampliação da rede de água do município. Japonês acompanhou na tarde desta quinta-feira, 12, a equipe técnica do projeto em visita ao local onde vão ser construídas as estações de tratamento e revelou detalhes, prazos e valores da gigantesca obra.

Iniciado em 2013 pela equipe técnica do Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto), o projeto de ampliação da rede de água e instalação da rede de esgoto em Vilhena teve seus editais de licitação publicados no dia 4 de dezembro. Com investimento previsto de R$ 77 milhões, oriundos do Governo Federal, o “destravamento” dos dois projetos foi possível após várias viagens, reuniões e elaboração de documentos por parte da autarquia e da Prefeitura, especialmente nos últimos meses. As propostas devem ser abertas nos dias 20 e 21 de janeiro com início de obras previsto para acontecer em março. Este é o maior projeto do gênero na história da cidade.

“O Saae e a Prefeitura estão há vários anos empenhados nisso. Nós somos os maiores interessados em fazer com que as obras aconteçam. Em nenhum momento foi cogitada a possibilidade de desistirmos de um projeto tão fundamental para nossa cidade. Apesar dos entraves financeiros do Governo Federal, agora vai!”, revela o prefeito Eduardo Japonês.

Com a execução dos projetos, Vilhena se tornará um dos poucos municípios do Estado e do Norte que terá rede de esgoto, sendo a previsão de alcançar 30% de cobertura no município. A iniciativa também garante a eficiência enérgica, regulação e constância no abastecimento de água, proteção do Aquífero Parecis com uso consciente da água e a aumento da proteção contra contaminações, diminuição da incidência de doenças por água imprópria para consumo, além de gerar emprego e renda para as famílias, colocando o município em um patamar de desenvolvimento sustentável.

Na visita estiveram o diretor do Saae, Maciel Wobeto, e os servidores Paulo Lima Coelho, Sueli Magalhães e Sinomar Rosa, envolvidos na iniciativa. O diretor lembrou que “ao contrário do que muitos pensam, este não é o início do projeto, mas sim sua última fase. Iniciado há seis anos o projeto é composto por 5 fases, que incluem: (1) elaboração do projeto executivo, (2) aquisição de terreno, (3) execução do Projeto Técnico Socioambiental, (4) fiscalização de obras e, por último, (5) a construção. A previsão é que as obras comecem até março de 2020”, revela.

As empresas que se interessarem e estiverem legalmente habilitadas, poderão participar das Concorrências Públicas 03/2019 e 04/2019 da Autarquia – Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), do município de Vilhena, já publicados no DOU nº 235 de 05/12/19.

A abertura das propostas de cada edital será transmitida ao vivo nos dias 20 e 21 de janeiro de 2020, revelando os participantes das licitações de água e esgoto, respectivamente.

O secretário municipal de Planejamento, Ricardo Zancan, informou que o primeiro edital teve ato suspensivo após documentos expedidos pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e também do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR). “Agora a Caixa Econômica Federal autorizou a realização dos certames licitatórios e a continuidade dos projetos. Há alguns meses, o ministério havia afirmado que não seria possível realizar pagamentos devido à crise econômica, mas já garantiu, depois disso, que liberará os valores conforme o andamento das obras.”

REDE DE ÁGUA – Avaliado em R$ 32 milhões, o projeto de ampliação e readequação da rede de água prevê implantação de dois reservatórios, um com 2 milhões e outro com 1,5 milhão de capacidade. Essas “caixas d’água gigantes” permitirão ao Saae economizar até 50% na conta de energia, pois atualmente a entidade precisa deixar suas bombas ligadas quase ininterruptamente para manter as casas abastecidas.

PROJETO DE ESGOTO – A 1ª etapa do projeto está orçada em R$ 45,5 milhões que serão investidos na construção de quatro Estações Elevatórias (EE) e uma Estação de Tratamento de Esgotos (ETE), onde os efluentes domésticos serão tratados para se tornar água límpida, com capacidade de ser devolvida à Natureza.

Em 2020 não haverá nenhum transtorno para os moradores, visto que o projeto indica que as obras comecem pela ETE, na zona rural lote 58 R-2-2B, próximo à Paz Ambiental. Somente depois de prontos os locais de recepção do material é que as tubulações serão implantadas na cidade. Assim, o esgotamento vai extinguir as fossas sépticas nas residências, que deverão ser desativadas e lacradas, já que os dejetos seguirão pela rede até chegar nas lagoas de tratamento.

 

Semcom