Casal de brasileiros sofre ataque a tiros na França

Segundo a polícia local, o suspeito tinha sido condenado em 2011 por agressão sexual e achou que os vizinhos ‘queriam castrá-lo quimicamente’
Jornalista Cristiane Tavares está fazendo seu mestrado na França
Reprodução do Facebook

Um casal de brasileiros sofreu um ataque a tiros na cidade de Toulon, na França, na última quinta-feira (13). De acordo com o jornal Var-Martin, a jornalista Cristiane Tavares e o marido André Modenezi foram baleados na frente do filho de 4 anos.

O suspeito vivia no andar de cima no mesmo edifício onde o casal morava e teve uma ‘alucinação’, segundo a polícia local. Após a vizinhança escutar tiros e os gritos da brasileira, um forte esquema policial foi enviado para o local.

Cristiane tinha saído de casa por volta das 8h45 quando um homem disparou contra ela. Assustada, ela voltou correndo para casa, mas o suspeito a perseguiu. Ao entrar em casa, o marido percebeu que ela estava ferida.

Nesse momento, André foi tentar fechar a porta do apartamento, mas se deparou com o suspeito que disparou contra seu tronco. Com o marido gravemente ferido, a jornalista pegou o filho e se escondeu no apartamento.

Forte explosão

O barulho dos tiros chamou atenção dos moradores que acionaram a polícia. Pouco depois de entrarem no edifício, a polícia encontrou o suspeito em casa tomando café. Ele se entregou sem oferecer resistência.

Em seguida, o casal foi atendido pelo resgate. A jornalista foi baleada com dois tiros perto do ombro e não corre risco de morrer. Já o marido, baleado no abdomen, perdeu muito sangue e seu estado é considerado gravíssimo.

André Modenezi está em coma induzido na Unidade de Terapia Intensiva e já passou por duas cirurgias de emergência. Ele deve ser operado uma terceira vez porque o sangramento é considerado muito intenso.

Armas antigas

A polícia encontrou várias armas de fogo na casa do atirador, incluindo a que teria sido utilizada contra os brasileiros. De acordo com as autoridades, eles vão fazer um teste de balística para comprovar qual delas foi utilizada.

De acordo com o promotor de Toulon, Bernard Marchal, o suspeito já tinha uma condenação por agressão sexual de 2011. “Ele achou que era vítima de uma trama por parte dos vizinhos que queriam fazer sua castração química”, lamentou o promotor.

Os policiais verificaram que a arma antiga é de colecionador e conhecida por utilizar ‘pólvora preta’, que podem gerar um ruído intenso. No local também foi encontrada uma espingarda.

O homem responderá por tentativa de homicídio e foi internado automaticamente por ‘razões psiquiátricas’, segundo a promotoria.

Apoio aos brasileiros

De acordo com o Itamaraty, as autoridades consulares do Brasil na França estão cientes do ocorrido e acompanham o caso junto às autoridades francesas. Eles não puderam passar maiores informações sobre o caso.

Fonte: R7 com agências internacionais